sábado, 23 de agosto de 2014

Capítulo 18

Passei voando pelas catracas do Crossfire e sorri ao ver Cary estava á minha espera no saguão.
 "Oi" , cumprimentei, admirando sua capacidade de fazer com que um simples jeans e uma camiseta de gola V parecessem sofisticados.
"Oi sumida." Ele estendeu a mão para mim e saímos pela porta lateral de braços dados. "Você parece bem feliz."
 O sol do meio-dia me atingiu como um soco. "Nossa. Que calor. Vamos a algum lugar aqui perto. Está a fim de comer taco?"
 "Com certeza."
Fomos até o restaurante mexicano que Megumi havia me apresentado e tentei não demonstrar o quanto a maneira como ele me cumprimentei tinha me deixado chateada. Fazia dois dias que eu não ia para casa, e Joseph estava planejando uma viagem para o fim de semana, o que significava mais dois dias sem Cary .Foi um alívio quando ele aceitou almoçar comigo. Eu não gostava de ficar muito tempo sem conversar com ele, sem saber se estava tudo bem.
 "Você tem planos para hoje á noite?" , perguntei depois de fazer o pedido.
 "É aniversário de um fotógrafo com quem trabalhei. Pensei em dar uma passada lá." Estávamos de pé, esperando os tacos e as margaritas sem álcool.
 "Você vai sair mesmo com a irmã do seu chefe? Ou quer ir comigo?
" Cunhada", corrigi. Ela tem ingressos pra um show . Ela me disse que sou sua última esperança, mas acho que vai ser divertido. Pelo menos estou torcendo para que seja . Nunca ouvi falar da banda. Tomara que não seja ruim.
"Qual é a banda?"
"Six-Ninths. Você conhece?
Cary arregalou os olhos" Six-Ningths? Sério? Eles são muito bons. Você vai gostar."
 Peguei nossas bebidas no balcão e deixei que ele carregasse as bandejas com os pratos." Você conhece o Six-Ninths, Shawna é superfã... Onde eu estava que nunca ouvi falar deles?"
" Debaixo da asa do Jonas, na sua fortaleza. Ele vai também?"
"Vai." Corri para garantir nossa mesa quando vi dois engravatados se levantarem. Nem comentei sobre o fato de Joseph ter dito que eu não poderia ir sem ele. Sabia que Cary não toleraria isso, o que me fez pensar no motivo pelo qual eu aceitava tão facilmente esse tipo de coisa. Cary e eu costumávamos concordar neste quesito.
" Não acho que Jonas gosta de rock alternativo." Cary se sentou com toda a naturalidade na cadeira em frente á minha. "Ele sabe o quanto você gosta? Principalmente de roqueiros alternativos?"
 Mostrei a língua para ele." Não acredito que você ainda se lembra disso. É passado.?
" E daí? Brett era um gato. Vai me dizer que nunca pensa nele?"
 "Só se for para me envergonhar." Peguei um dos tacos de carne assada. "Então tento evitar este tipo de lembrança."
 "Ele era um cara legal", rebateu Cary antes de dar um grande gole na raspadinha sabor margarita.
"Não estou dizendo que não era.Mas não era o cara certo pra mim." Só de pensar naquela época eu me contorcia de vergonha. Brett Kline era um gato e tinha uma voz que me deixava louca de tesão, mas também era um dos principais exemplos das péssimas escolhas que tinha feito em um período especialmente sórdido da minha vida." Mudando de assunto... Você conversou com Trey ultimamente?"
 O sorriso de Cary desapareceu." Sim, hoje de manhã."
 Fiquei em silêncio, á espera de mais informações.
Enfim ele cedeu,soltando um suspiro." Sinto falta dele. De conversar com ele. Trey é muito inteligente, sabia? Que nem você. Ele vai comigo á tal festa de hoje á noite.
" Comigo amigo ou como namorado?"
"Isto aqui está uma delícia." Cary deu mais uma mordida no taco antes de responder." A ideia é irmos como amigos mas provavelmente vou estragar tudo e tentar trepar com ele. A gente vai se encontrar lá, não dar sopa pro azar, mas sempre dá para fugir para o banheiro ou algum depósito de produtos de limpeza. Nunca consigo me controlar, e ele não sabe dizer não pra mim.
 Seu tom de autodesprezo fez meu coração ficar apertado.
" Sei como é", fiz questão de lembrar. Eu também já tinha sido assim. Já havia sentido esse desespero pelo contato íntimo com alguém." Por que você não tenta... sabe como é... resolver isso sozinho primeiro? Pode ajudar..."
Um sorriso largo e malicioso se abriu em seu belo rosto." Uau, você poderia repetir isso para eu gravar."
 Amassei meu guardanapo e atirei nele.
Cary o apanhou aos risos." Você é tão puritana ás vezes... Adoro isso."
 " E eu adoro você. Quero que seja feliz."
 Ele pegou minha mão e a beijou." Estou tentando, gata.'
" Se precisar de mim é só falar, mesmo que eu não estiver em casa."
" Eu sei." Ele apertou com força a minha mão antes de larga-la.
" Na semana que vem vou ficar bastante por lá. Preciso deixar tudo pronto para a visita do meu pai." Dei uma mordida em um taco, e meus pés até sapatearam de tão bom que estava." Queria falar sobre a sexta. Vou estar no trabalho, então você poderia ficar de olho nele. Vou deixar comida e uns mapas da cidade,mas..."
" Sem problemas." Cary piscou para uma loira bonita que passou por ele." Ele vai estar em boas mãos."
" Você vai querer sair com agente enquanto ele estiver na cidade?"
" Demi, querida, estou sempre disposto a sair com você. É só me dizer onde e quando que dou um jeito."
" Ah!" Eu me apressei em mastigar e engoli o que tinha na boca." Minha mãe disse que viu seu rostinho bonito estampado num ônibus um dia desses."
 Ele sorriu." Eu sei. Ela e mandou uma foto que tirou com o celular. Demais,né?"
" Mais que demais. Precisamos comemorar", eu disse, roubando sua fala habitual.
"Com certeza."
------------------------------------x------------------------------------------------x-------------------------------------------------x-----------------------x--------------------------------x--------------------------------------x------------------------------------------x-----------------------------------x-------------
Mais um capítulo aí, o próximo é treta, desculpem a demora, sigam e comento no blog.bjs

4 comentários:

  1. Treta entre quem?! Joe e demi?! NAAAAOOOOO!!! Posta,mais

    ResponderExcluir
  2. Se eu dizer não vai ter graça nenhuma kkkk

    ResponderExcluir
  3. Vishhhhhh sinto cheiro de ciúmes ^'^
    posta mais qnd der bjooos
    Obs: amando a fic

    ResponderExcluir